Libido virtual / delírio | série: A Mãe Natureza e a Filha da Internet

Em 2016 a performance “Libido virtual/delírio” foi apresentada no castelo de Óbidos em Portugal. A performance faz parte da série CAPSLOCK: A mãe natureza e a filha da internet. O registro feito pela artista Talitha Rossi é uma (auto)crítica sobre os efeitos colaterais do vício na internet e em seus derivados. A hiper comunicação anestésica caminha acoplada ao vazio de sentidos, gerando distúrbios psíquicos em usuários de redes sociais. Dentro do castelo em Óbidos, a artista se auto-isolou num pequeno “espaço de reabilitação” e se auto-medicou ouvindo seus próprios sons cardíacos, vasculares, respiratórios, ou seja, seus órgãos, usando um estetoscópio com cristal bruto acoplado na ponta inferior.

A série de performances autocríticas batizada pela artista como "A Mãe Natureza e a filha da internet" foi feita entre 2016 – 2017 no Brasil, Alemanha, Polônia e Portugal. A performance questiona este ser humanóide “cria-da-internet-dopados-de-wi-fi” que cultua padrões distorcidos e vem contaminando via doses de hipnoses - atrofias digitais aliadas da vaidade - como por exemplo, os filtros do instagram. Em paralelo a esta vaidosa miopia contemporânea, a total desconexão com a natureza aumenta, e a virtualidade se mistura com a viralidade na era do messianismo digital, devoto do antropocentrismo e da hiper comunicação anestésica.

Libido virtual/delírio #1 | série Caps lock | A mãe natureza e a filha da internet
Libido virtual/delírio #2 | série Caps lock | A mãe natureza e a filha da internet
Libido virtual/delírio #3 | série Caps lock | A mãe natureza e a filha da internet
Libido virtual/delírio #4 | série Caps lock | A mãe natureza e a filha da internet
Libido virtual/delírio #5 | série Caps lock | A mãe natureza e a filha da internet
1/1
Pinta Miami | 2018
Pinta Miami | 2018
SP Arte Foto | 2017
Individual "A mãe natureza e a filha da internet" | Circuito ArtRio | Z42 Arte Contemporânea | 2016
Pinta Miami | 2017
1/1